Novo engenho

A seis meses do prazo, pr√©-candidatos começam a desistir em Campo Grande

O deputado estadual Coronel David √© o primeiro a sair da disputa, e o próximo deve ser o deputado estadual Lucas de Lima

Por Jardim MS News em 21/02/2024 às 11:56:57
Os deputados estaduais Coronel David (PL) e Lucas de Lima (PDT) durante sessão na Assembleia - MONTAGEM

Os deputados estaduais Coronel David (PL) e Lucas de Lima (PDT) durante sessão na Assembleia - MONTAGEM

A seis meses do prazo final para que os partidos registrem os nomes dos candidatos à Prefeitura de Campo Grande na Justiça Eleitoral – 15 de agosto –, os primeiros pré-candidatos j√° começaram a desistir de concorrer ao pleito do dia 6 de outubro. Na manhã de ontem, o deputado estadual Coronel David (PL) anunciou, durante sessão na Assembleia Legislativa, que não é mais pré-candidato a prefeito da Capital.

Além dele, o Correio do Estado apurou que o próximo a seguir o mesmo caminho ser√° o também deputado estadual Lucas de Lima (PDT), enquanto nos meses seguintes deveremos ter novas desist√™ncias.

Uma delas pode ser a da deputada federal Camila Jara (PT), que, apesar de estar disposta a enfrentar a aprovação das urnas, tem pela frente a resist√™ncia dos dois principais caciques do partido no Estado, o deputado federal Vander Loubet e o deputado estadual Zeca do PT.

A reportagem também investigou que é dada como certa a desist√™ncia do vereador Carlos Augusto Borges (PSB), o Carlão, o qual não ser√° mais pré-candidato a prefeito.

O próprio presidente estadual do partido, Paulo Duarte, confirmou que a sigla tem o desejo de se aliar ao PSDB na Capital.

Outra legenda que estuda a possibilidade de não lançar candidato a prefeito de Campo Grande é o MDB, do ex-governador André Puccinelli, pois atualmente ainda não h√° nenhuma garantia de que ele mesmo deve concorrer.

Para o p√ļblico externo, Puccinelli bate o pé que é sim pré-candidato, porém, nos bastidores, o presidente estadual do partido, ex-senador Waldemir Moka, e o próprio ex-governador estariam conversando com Reinaldo Azambuja sobre uma prov√°vel aliança na Capital.

Procurado pela reportagem, o deputado estadual Lucas de Lima disse que ainda segue firme com sua pré-candidatura. "Não procede que eu tenha acertado a minha desist√™ncia. Estou pré-candidato a prefeito [de Campo Grande]", garantiu.

AN√öNCIO

Por enquanto, na pr√°tica, apenas o deputado estadual Coronel David tornou oficial sua desist√™ncia, e o motivo foi o fato de o ex-presidente da Rep√ļblica Jair Bolsonaro (PL) ter declarado durante uma entrevista de r√°dio seu apoio ao deputado estadual João Henrique Catan (PL), prov√°vel pré-candidato do partido a prefeito de Campo Grande.

Ao Correio do Estado, Coronel David afirmou que não est√° mais na disputa e que seguir√° o que for definido por Bolsonaro.

"Respeito a decisão do presidente Bolsonaro, entretanto, chamou atenção a participação na decisão dele alguém que não pertencia ao partido e que pelo jeito teve influ√™ncia na decisão, não se sabe com qual argumento, inclusive passando por cima da direção nacional, fazendo essa escolha", declarou, referindo-se ao ex-deputado estadual Capitão Contar (PRTB).

Coronel David explicou que, no dia em que Bolsonaro fez a declaração no programa de r√°dio, recebeu dos militantes da direita em Campo Grande e no interior de MS v√°rias manifestações de apoio, reforçando que o ex-presidente esqueceu do nome mais forte do PL no Estado.

"Minha vida vai seguir, vou continuar sendo deputado, trabalhando naquilo que acredito. Só estranhei um "objeto estranho" ao partido, em decisão que julgo muito importante para o futuro do PL", declarou, acrescentando que muitos bolsonaristas chegaram a criticar a decisão do ex-presidente.

Nas redes sociais, alguns bolsonaristas chegaram a classificar a decisão de Bolsonaro como ingratidão, uma vez que Coronel David foi um dos primeiros apoiadores dele em Mato Grosso do Sul, quando ainda não estava em seus planos disputar a Presid√™ncia da Rep√ļblica.

NOVA MUDANÇA

O Correio do Estado apurou com lideranças do PL em Mato Grosso do Sul que não é improv√°vel que Bolsonaro recue e decida declarar apoio à reeleição da prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP).

H√° até a possibilidade de a senadora Tereza Cristina (PP) ter uma reunião nesta semana com Bolsonaro e com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, para assegurar essa aliança.

Afinal, como ela j√° foi ministra da Pasta da Agricultura e Pecu√°ria no governo de Bolsonaro, o ex-presidente costuma levar muito em consideração a opinião de Tereza Cristina.

Além disso, Tenente Portela, outro amigo próximo a Bolsonaro, atual presidente municipal do PL em Campo Grande e assessor especial da Defesa Civil do munic√≠pio, também é favor√°vel à aliança com o PP na Capital.

Fonte: Correio do Estado

Comunicar erro
Marissol

Coment√°rios

DM